quarta-feira, 1 de julho de 2015

CLAUDIO CLARINDO É O PRIMEIRO LATINO-AMERICANO A COMPLETAR A RACE ACROSS AMERICA CINCO VEZES

Ciclista brasileiro supera calor de 50ºC e chuvas torrenciais e termina sua quinta participação na Race Across America, pedalando 4.835 km em 12 dias, façanha também alcançada por ele em 2007, 2009, 2011 e 2012
São Paulo (SP) - O paulista Claudio Clarindo acaba de escrever mais uma vez seu nome na história do ciclismo mundial. Em 11 dias, 23 horas e 35 minutos, o principal ultraciclista do Brasil percorreu os 4.835 km da Race Across America, competição de ciclismo de longa distância considerada a mais difícil do mundo, e tornou-se o primeiro atleta latino-americano a completar a prova cinco vezes. Clarindo largou no dia 16 de junho, na cidade de Oceanside (Califórnia), costa oeste dos Estados Unidos, e chegou à costa leste do país no dia 28 (domingo), cruzando a linha de chegada em Annapolis (Maryland).

"O diretor da prova me disse que, no mundo todo, devem ter só uns cinco atletas que atingiram esse feito. Para mim, poder elevar o ciclismo brasileiro a um patamar tão alto e mostrar que vale a pena pedalar longas distâncias, é motivo de muito orgulho. É surreal completar a RAAM cinco vezes, um feito para poucos atletas, como o diretor de prova fez questão de dizer", celebrou Clarindo, homenageado antes da largada exatamente por estar tentando finalizar a competição pela quinta vez seguida.

Segundo o ultraciclista, das cinco participações, a deste ano foi a mais difícil, tanto pelas condições climáticas extremas encontradas em alguns pontos quanto por problemas estruturais. Como o tempo limite para completar a prova é de 12 dias - ou 288 horas - Clarindo precisou acelerar nos últimos 130 km, pedalando a uma velocidade média de 40 km/h, muito superior à velocidade média desenvolvida por ele no circuito inteiro, de 16,8 km/h. O atleta percorreu uma média de 405 km por dia.

"Logo no início da prova, o pneu do meu carro de apoio furou, e, como o estepe era muito pequeno, tivemos de correr atrás de outro pneu. Isso me consumiu umas cinco horas e fez eu cair lá para baixo, mais ou menos na 20ª colocação. Além disso, enfrentamos condições climáticas extremas, como o calor de 50ºC no deserto do Arizona e chuvas torrenciais durante três dias. Essa edição foi atípica nesse sentido, e obrigou até os ciclistas do primeiro pelotão a parar. Acima de tudo, a RAAM 2015 foi uma corrida de superação", contou Clarindo, para quem o trecho percorrido no deserto do Arizona, logo nos primeiros dias de prova, foi o mais desgastante, deixando o ciclista com diversas queimaduras pelo corpo e exaurindo suas forças.

Cansaço extremo e 12 dias quase sem dormir - A exemplo das outras participações, o atleta também precisou lidar com o cansaço extremo o tempo todo. Para se ter ideia das exigências físicas e mentais impostas pela Race Across America, Clarindo acumulou apenas 5h30 de sono nos seis primeiros dias da prova. "O sono é o pior inimigo na RAAM. Eu cheguei a dormir em cima da bicicleta algumas vezes enquanto pedalava, era acordado pela buzina do carro de apoio. Diversas vezes eu cheguei a pensar em desistir, mas fui motivado pela equipe, que me dizia: 'se você parar, ficará marcado de forma negativa, mas, se continuar e conseguir se superar, será lembrado como heroi'. Uma metade é o Clarindo, a outra é a equipe".

Outro fator decisivo para manter o ultraciclista determinado a cruzar a linha de chegada e obter o recorde histórico foi a presença do filho, João Vitor, que acompanhou o pai pela primeira vez na RAAM, estando ao seu lado nos momentos da largada e da chegada. "Sempre foi meu sonho levá-lo para lá, dizia a ele que presenciar o pai completando a Race Across America seria um presente que eu daria a ele. Nós choramos juntos nos diversos momentos de sofrimento, e ele me deu muita força. Foi uma lição de vida que não esquecerei jamais".

Equipamentos - Claudio Clarindo fez questão de ressaltar a importância dos equipamentos utilizados durante a RAAM 2015, sem os quais, segundo o ciclista, não teria sido possível completar a prova. Da Specialized, Clarindo utilizou, além das sapatilhas Audax e das Luzes Flux, duas bikes: S-Works Roubaix e S-Works Tarmac, equipadas com o grupo de componentes Dura-Ace Di2 eletrônico da Shimano. O ultraciclista ainda contou com as rodas Shimano RS80 e C50 Carbon e a jaqueta Shimano Dryshield Basic Rain.

"Não existe marca mais apropriada do que a Specialized para competir numa RAAM. As melhores bikes que eu poderia ter, com o melhor equipamento disponível no mercado, eu tive. O Dura Ace Di2 fez uma diferença absurda, porque antigamente, quando ainda usava um grupo mecânico de componentes, eu chegava à linha de chegada sem conseguir mexer as mãos", explicou Clarindo.

Possível despedida da RAAM - A Race Across America 2015 provavelmente marcou a despedida de Clarindo da competição, pelo menos na categoria solo sub-50, em que competiu desde a sua primeira participação, em 2007. Ele foi 16º colocado na edição deste ano e seu melhor resultado foi obtido em 2009, quando terminou na sétima posição, com o tempo de 10 dias, 22 horas e 11 minutos.

"Não tenho medo de competir novamente, mas acredito que já atingi uma marca legal, um recorde difícil de ser batido, e a logística para participar da RAAM é extremamente complexa. Isso não quer dizer que deixarei de competir, quero disputar a Race Across Italia, por exemplo, e correr outras provas pelo mundo. Talvez dispute a RAAM de novo em dupla ou quarteto, mas solo eu dificilmente farei de novo", revelou.

Sobre a Shimano - Empresa líder de mercado em componentes e acessórios para bicicleta, pesca e remo, a Shimano foi criada em 1921 e possui sede em Sakai, no Japão. O escritório da Shimano Latin America (SLA) foi fundado em 2007 e conta com sete parceiros comerciais no Brasil: Biape, Ciclo Cairu, Isapa, Joytech, JR Comércio, LM Bike e Mix Bicicletas.

A Shimano desenvolveu as exclusivas tecnologias STI (Shimano Total Integration - alavanca de marchas e freio integrados), SPD (Shimano Pedaling Dynamics - para sapatilhas e pedais) e SIS (Shimano IndexSystem), reconhecidos e referência no mundo todo. Possui entre suas marcas nomes que são sinônimos de qualidade e performance no universo ciclístico: XTR, Dura Ace, Ultegra, DI2.

Mais informações no site bike.shimano.com.br
Twitter:@shimanobrasil
Fanpage no Facebook: www.facebook.com/shimanobrasil 

terça-feira, 30 de junho de 2015

Larissa Brasa é Campeã Interestadual de Mountain Bike 2015

A ciclista botucatuense Larissa Brasa participou nesse domingo, 28/06, da ultima etapa do Campeonato Interestadual de Moutain Bike XCO (Cross Country Olímpico), realizado na cidade mineira de Poços de Caldas.
A prova teve como palco um dos principais pontos turísticos da cidade: o Morro do Cristo, e contou com um circuito bem técnico, com muitas subidas íngremes e descidas com Dops, pedras, raízes e curvas rápidas.
Larissa que manteve a segunda colocação nas duas primeiras etapas, completou a terceira e ultima etapa do campeonato na primeira colocação, sagrando-se campeã Interestadual de Mountain Bike 2015 na categoria Junior Feminino.
“Fiquei muito feliz com meu resultado, pois conquistei mais alguns pontos importantes para o ranking nacional”, comentou Larissa Brasa que continuara treinando forte para as próximas competições do mês de Julho, entre elas a 1ª etapa do Campeonato Paulista de Mountain Bike XCO, o Campeonato Brasileiro de XCO e os Jogos Regionais.

Larissa Brasa conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Botucatu, através da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, Brasa Bike, Specialized Brasil, Hoffmann XCO, Brasil Ride, Blog Esportes em Botucatu, Jornal Diário da Serra, Criativa FM, Jornal Acontece Botucatu e Blog do Professor Arnaldo (Nóis na Fita A TV). 

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Espetacular a 3ª Etapa da Copa Vale de Mountain Bike 2015 – MARATONA XC em Jambeiro - SP


Aconteceu neste ensolarado domingo a 3ª Etapa da Copa Vale de Mountain Bike 2015 – MARATONA XC, que agradou em cheio aos quase 500 atletas inscritos, pois  foram divididos em quatro grandes várias categorias, ou seja, Pro - Sport - Light e Soft e em algumas delas, separados por faixas etárias, satisfazendo assim a todos competidores.

Os mais rápidos a enfrentarem e vencerem na Categoria PRO foram Bruna da Silva Toledo na Feminina e Wagner Simão na PRO SUB-40, verdadeiras feras do Mountain Bike XCM, pois a primeira parte das subidas em single track, foi um verdadeiro teste de resistência, dados às dificuldades naturais do percurso, como pode ser conferido nos gráficos da altimetria apresentados acima.


"Mesmo com um números enorme de categorias a premiação aconteceu de forma muito rápida, cuja cronometragem a cargo da Cronoleve, se deu de forma instantânea, ou seja, assim que o atleta chegava, já sabia sua colocação em cada categoria" - festeja o Professor Arnaldo, editor chefe da "Nóis na Fita a TV", que ainda descolou uma 2a. colocação na OVER-60 SPORT. 


O Professor Arnaldo também recomenda que não deixem de participar da próxima etapa que se dará em Campos do Jordão no dia 23 de agosto, cujas inscrições já estarão abertas no site da Pedal Leve nos próximos dias, pois  os organizadores fizeram de tudo, tudo mesmo, para que todos saíssem satisfeitos, mesmo aqueles que desafortunadamente não subiram ao tão sonhado pódio.

domingo, 28 de junho de 2015

CATARINENSES DOMINAM O OPEN SHIMANO LATINOAMÉRICA


Silvio Felix Jr. foi o campeão milésimos de segundo à frente de Muriel Lohn e Lucas de Borba. Evento mostrou equilíbrio e muita técnica, reunindo 141 pilotos de três países em Balneário Camboriu
Balneário Camboriu (SC) - Uma prova definida em milésimos de segundo por três catarinenses. Silvio Felix Jr., o atual campeão pan-americano junior, conquistou a Etapa Brasil do Open Shimano Latinoamérica no final da tarde deste domingo (28), em Balneário Camboriu. Ele completou a pista de 1.400 metros do Morro da Aguada em 2min17s170, 290 milésimos à frente do vice-campeão Muriel Lohn. O vencedor de 2014, Lucas de Borba, ficou em terceiro, com o tempo de 2min17s940. A terceira e última etapa da maior competição de downhill da América Latina será em Nevados de Chillan, no Chile, nos dias 20 e 21 de dezembro. 

"Fiz uma descida muito forte, e fiquei bastante contente com meu desempenho pois estou treinando muito, mas surpreso com a briga entre eu, o Muriel e o Lucas, que tivemos uma diferença mínima", admitiu o campeão de 19 anos, o único piloto de Palhoça que recebe apoio da prefeitura da sua cidade. "Neste domingo Palhoça venceu Ibirama", acrescentou referindo-se aos dois adversários da tradicional cidade do downhill, que tem um grande número de pilotos da modalidade. Agora Silvio vai se preparar para a etapa do Sul Brasileiro justamente em Ibirama, dias 19 e 20 de julho) e depois o Brasileiro em Ipatinga, na semana seguinte. Se conseguir apoio, quer disputar o Canadian Open, em Whistler, berço do mountain bike. "Ano passado fui oitavo na junior e este ano competirei na pró". 

O vice-campeão Muriel Lohn, apoiado pela CME de Ibirama, perdeu o título na última descida. Quando Lucas de Borba completou com tempo um pouco abaixo, Muriel ficou emocionado e chegou a chorar, já imaginando que seria o campeão, Mas Silvio Felix roubou a taça logo em seguida. "Evidentemente que ninguém gosta de perder, mas estou feliz com a minha descida e com o vice-campeonato pois é meu primeiro ano na pró. Ano passado ganhei aqui na junior e este resultado me anima bastante", garantiu o piloto de 19 anos. 

O vencedor de 2014, Lucas de Borba (Santa Cruz/Shimano), também estava satisfeito. "Foi uma prova muito legal com três pilotos quase no mesmo tempo, mostrando a força do downhill de Santa Catarina. Estou feliz com o resultado e agora vou me preparar para o Brasileiro, em Ipatinga, e antes disputo o Sul Brasileiro em Ibirama", contou o piloto de 20 anos.

Terceira vitória de Bruna Ulrich - A piloto de Ibirama, Bruna Ulrich, conquistou o o Open Shimano de Balneário Camboriu pela terceira vez consecutiva. Ela não teve tanta dificuldade porque suas principais concorrentes não vieram para Santa Catarina. Depois de fazer o melhor tempo na classificatória no sábado, Bruna confirmou o título neste domingo ao completar a descida em 2min53s700. 

"Mesmo com algumas ausências das estrangeiras, a vitória foi importante porque as meninas daqui também andam bem. A pista estava mais pesada, tanto que fiz um tempo acima do ano passado", contou Bruna que agora vai disputar uma prova em sua cidade e no dia 26 de julho compete no Brasileiro, em Ipatinga (MG). No dia seguinte, viaja para Whistler (Canadá) para uma temporada de um mês. 

Os mais jovens se destacam - Não foram apenas os mais experientes que chamaram a atenção em Balneário Camboriu. Os dois pilotos mais jovens da competição também se destacaram. O gauchinho de Teotonio, Erik Weber, de apenas 11 anos, mostrou segurança de veterano tanto na pista como na entrevista. No classificação no sábado, ele terminou em terceiro, "atrás de dois meninos de 13 anos", ele lembrou, e neste domingo fechou a prova em quarto, com 3min36s000, para a alegria dos pais que não o largavam em nenhum momento.

O campeão da categoria menores foi o piloto local Arthur Georg, de 13 anos. Ele fez o melhor tempo no qualifying e confirmou no domingo, com 2min43s390.

Entre as mulheres, Kauana Thais Nunes, de 15 anos, era a caçulinha. A bela morena de Schroeder (SC), próximo de Jaraguá do Sul, fez segundo lugar no sábado e na decisão acabou batendo numa árvore e se atrapalhou um pouco, tanto que acabou em terceiro. Mesmo assim, estava feliz pois só começou a andar de downhill há apenas sete meses, por influência do irmão, também piloto. 

O coordenador do Open Shimano Latinoamérica, o argentino Martin Cepi Raffo, fez uma balanço positivo da competição. "A Etapa Brasil é a que tem o nível técnico e de organização mais elevado. O circuito é muito forte e mostra que os pilotos locais tem uma vantagem grande sobre os de fora. Estamos otimistas que teremos uma boa participação de brasileiros na etapa final, no Chile".


Campeões do Open Shimano Latinoamérica - Etapa Brasil
Pró: Silvio Feliz Junior (Bike e Adventure) - 2min17s170
Elite: Diogo Lopes (Team Nines) - 2min27s610
Juvenil: William Voelz (DM Bike Shop) - 2min22s300
Cadetes: Matheus Neitzke (FME/Benedito Novo) - 2min22s360
Máster A1: Leandro Bonfante (DH Lope) - 2min31s080
Máster A2: Luis Linhares Jr. (Coyotes/Hupi Bikes) - 2min28s480
Máster B: Jacques dos Santos (Tocha/Ride Bike) - 2min34s310
Damas: Bruna Ulrich (Manoel Marchetti) - 2min53s700
Menores: Artur Georg - 2min43s390 


O Open Shimano Latinoamérica 2015 tem três etapas. Além da prova em Balneário Camboriú e da disputa em Bariloche, onde foi aberta a temporada no final de janeiro deste ano, haverá uma edição em Nevados de Chillán (Chile), em dezembro. O chileno Pedro Ferreira foi o campeão da Pró na etapa de abertura, na Argentina.

Em seu oitavo ano de realização, o Open Shimano segue com números impressionantes, o que credencia a prova como a principal da América Latina na modalidade downhill do mountain bike. Nesse período, foram mais de 30 provas realizadas, em 16 circuitos diferentes, com mais de 3200 competidores, além de nove países representados e a participação de mais de 20 medalhistas pan-americanos. É um evento criado para fomentar o esporte no continente e tem, desde então, revelado grandes talentos do downhill e proporcionado boa oportunidade para os pilotos latino-americanos, a partir do intercâmbio e da troca de experiência entre atletas de vários países.

Em Santa Catarina, a competição contou com o apoio da Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú, 12º Batalhão de Polícia Militar, 13º Batalhão do Corpo de Bombeiros, Fundação Municipal de Esportes, Secretaria de Obras e Parque Unipraias.


Sobre a Shimano - Empresa líder de mercado em componentes e acessórios para bicicleta, pesca e remo, a Shimano foi criada em 1921 e possui sede em Sakai, no Japão. O escritório da Shimano Latin America (SLA) foi fundado em 2007 e conta com sete parceiros comerciais no Brasil: Biape, Ciclo Cairu, Isapa, Joytech, JR Comércio, LM Bike e Mix Bicicletas.

A Shimano desenvolveu as exclusivas tecnologias STI (Shimano Total Integration - alavanca de marchas e freio integrados), SPD (Shimano Pedaling Dynamics - para sapatilhas e pedais) e SIS (Shimano IndexSystem), reconhecidos e referência no mundo todo. Possui entre suas marcas nomes que são sinônimos de qualidade e performance no universo ciclístico: XTR, Dura Ace, Ultegra, DI2.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Lais Saes da Scott manda bem e vence o Circuito MTB Trail Outdoor - Kalangas Bikers - Monte Mor - SP


RESULTADOS


A atleta Elite da Equipe Scott, Lais Saes, mesmo vindo de duas duras competições, Brasil Ride Warm Up e GP Ravelli, aproveitou o circuito rápido do Circuito MTB Trail Outdoor - Kalangas Bikers  em Monte Mor, cidade região de Campinas, impôs um forte ritmo de venceu sem dificuldades a 3a. etapa da competição. 

O evento contou com o apoio e infraestrutura da cidade, que possibilitou que a galera do Mountain Bike pudesse competir em total harmonia com a natureza, além da costumeira ótima organização do Helio Bueno, que a casa etapa vem agradando cada vez mais os competidores.


"Desta vez a galera do MTB sofreu menos que o de costume" - comenta o Professor Arnaldo, editor chefe da "Nóis na Fita A TV", que apesar de ter largado na última colocação, por causa da gravação do 'Vídeo Oficial", postado no início do artigo, ainda teve tempo e disposição para alcançar uma série de atletas e de quebra chegar na 5a. colocação na Categoria Veterano B Sport.

FLASHES do Circuito MTB Trail Outdoor - Kalangas Bikers - Monte Mor 21-06-15